Vinicius Matos

março 28, 2008

Mulher

As mulheres, durante séculos, serviram de espelho aos homens por possuírem o poder mágico e delicioso de refletirem uma imagem do homem duas vezes maior que o natural.

Virgina Woolf

63.jpg

Anúncios

março 27, 2008

O cão é a virtude que, não podendo fazer-se homem, se fez animal. Provérbio árabe

Filed under: Opinião — Vinicius Matos @ 8:19 pm
Tags: , , , ,

img_1673.jpg

O Vento

Filed under: . — Vinicius Matos @ 11:23 am
Tags: , , , ,

O vento é um cavalo:
ouve como ele corre
pelo mar, pelo céu.
Quer me levar: escuta
como ele corre o mundo
para levar-me longe.

Esconde-me em teus braços
por esta noite vazia,
enquanto a chuva rompe
contra o mar e a terra
sua boca inumerável.

Escuta como o vento
me chama galopando
para levar-me longe.

Como tua fronte na minha,
tua boca em minha boca,
atados nossos corpos
ao amor que nos queima
deixa que o vento passe
sem que possa levar-me.

Deixa que o vento corra
coroado de espuma
que me chame e me busque
galopando na sombra,
enquanto eu, protegido
sob teus grandes olhos,
por esta noite só
descansarei meu amor.

3.jpg

março 26, 2008

Leveza

Arthoni

Leve o pensamento na cabeça
Tão leve que nem é preciso pensar noutra coisa
Além de tudo aquilo que vivemos.
Viver é pensar um pouco,
Mas só o suficiente para não deixarmos de viver.
Às vezes, viver é também lembrar do que se vive
Dos grandes e prazerosos momentos juntos
Que vez ou outra, não são muito grandes
Mas que nos fazem um bem enorme.
Viver é correr o risco de não pensar
De não querer pensar nada além do que se está vivendo
Como se aqui e agora fosse tudo o que tivéssemos.
É tudo o que temos!
Leve também cada expressão no rosto
De saudade, de carinho ou de desejos
Leve no coração uma gostosa sensação de paz
Essa mesma paz que nos faz ir em busca das mudanças
Leve esse sorriso no rosto de quem sabe que está chegando
Sabe também que está sempre partindo um pouco
Sem deixar de ter consigo todas as estradas porque passou
_mg_7859_b.jpg

“Pouca coisa é necessária para transformar inteiramente uma vida: amor no coração e sorriso nos lábios.” Martin Luther King

Filed under: . — Vinicius Matos @ 12:07 am
Tags: , , , , ,

_mg_4697_b.jpg

março 25, 2008

Morre Lentamente

Morre lentamente

“Pablo Neruda”

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não
ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio, quem
não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do
hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de
marca,
não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não
conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o
negro sobre o branco e os pontos sobre os “is” em detrimento de um
redemoinho de emoções justamente as que resgatam o brilho dos
olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz,
quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um
sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida
fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da
sua má sorte ou da chuva incessante.

Morre lentamente, quem abandona um projeto antes de
iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não
responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Morre lentamente…

47.jpg

“As flores desabrocham para continuar a viver pois reter é perecer.” Khalil Gibran

_mg_6993_b.jpg

março 24, 2008

Cigana

O meu coração é nômade, a minha alma é cigana, cada um vai pro seu lado e quando me dou por mim, descubro: estou perdida.
Talvez me ache em seus olhos, ou quem sabe, me ache, no espelho. Mas esse achar físico não me contenta não me satisfaz, nem me encanta.
Quero com todo o gosto do mundo me perder e me encontrar sempre que preciso. Quero descobrir o infinito que habita em mim não quero ser incógnita pra ninguém. Quero a equação simplificada. Se não entendo, deleto, se não gosto, apago, se precisar, multiplico.
Mas de qualquer forma: descubro, me refaço e edito.
Publico o que me faz grande e o que me derruba.
Não tenho medo de descobrir o segredo.

1774779.jpg

Dualidade

Filed under: . — Vinicius Matos @ 11:41 am

Somos quem somos?
Esta dualidade que me permeia confunde.
Difunde, margeia, semeia caos, candeia
Sem luz, não conduz, contunde, mareia.

Fomos quem somos?
Tempo, areia me enterra ou aterra,
me apoia ou me prende,
me tolhe ou distende,
me cala ou me berra.

Calor e frio, vazio, completo
carente, repleto, sonhador, concreto.
Dualidade, maldade, fiel sem balança,
andança, estaguinação, mansidão, pujança.

Metade de mim arde, a outra congela.
Metade de mim é vida, a outra mazela.
Metade de mim irrompe, a outra afunda.
Metade de mim é glória, a outra imunda.

Seremos quem fomos?
Somos quem somos?
Dualidade, perversidade ou caridade?
Torvelinho, remanso, ação ou descanso.

Não sei! Se alguém sabe me conte.
Mas conte de manso.

Rio 14 de Agosto de 2003

Jorge Reigada

fotografia casamento, vinicius matos, la foto

março 23, 2008

“A amizade duplica as alegrias e divide as tristezas.” Francis Bacon

180_b.jpg

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.