Vinicius Matos

março 20, 2009

Rapidinha

Filed under: Pessoal — Vinicius Matos @ 2:03 pm
Durante escavações nos EUA, arqueólogos descobriram, a
100 m de profundidade, vestígios de fios de cobre que
datavam do ano 1000. Os americanos concluíram que seus
antepassados já dispunham de uma rede telefônica naquela
época. Os argentinos, para não ficarem para trás,
escavaram também seu sub-solo, encontrando restos de fibras
ópticas a 200 m de profundidade. Após minuciosas
análises, concluíram que elas tinham 2.000 anos de idade.
Os argentinos concluíram, triunfantes, que seus
antepassados já dispunham de uma rede digital a base de
fibra óptica quando Jesus Nasceu! Uma semana depois, em
Belo Horizonte, foi publicado o seguinte anúncio:
Após escavações arqueológicas no sub-solo de Contagem,
Betim, Barbacena, Formiga, Juiz de Fora, Varginha, Poços de
Caldas, Itajubá, Capitolio E PARÁ DE MINAS  , e diversas
outras cidades mineiras, até uma profundidade de 500 metros,
os cientistas mineiros não encontraram absolutamente
nada. Assim se conclui que os antigos Mineiros já dispunham
há 5.000 anos de uma rede de comunicações sem-fio:
wireless. (por isso se pronuncia “uai” re less).

março 17, 2009

Minas Gerais é assim!

Filed under: Pessoal — Vinicius Matos @ 2:14 pm

NUDEZ MINEIRA

Dois cumpadre de Uberaba tavam bem sossegadim fumando seus respectivo cigarrim de paia e proseano.
Conversa vai, conversa vem, eis que a certa altura um deles pergunta pro outro:
– Cumpadre, u quê quiocê acha desse negóço de nudez?
No que o outro respondeu:
– Acho bão, sô!
O outro ficou assim, pensativo, meditativo…e perguntou de novo:
– Ocê acha bão purcaus diquê, cumpadre?
E o outro:
– Uai! É mió nudês do que nunósso, né mesmo?



TREM CAIPIRA


Uma mulher estava esperando o trem na estação ferroviária de Varginha, quando sentiu uma vontade de ir urgentemente ao banheiro. Foi….
Quando voltou, o trem já tinha partido. Ela começou a chorar.
Nesse momento, chegou um mineiro, compadeceu-se dela e perguntou:
– Purcaus diquê qui a sinhora tá chorano?
– É que eu fui urinar e o trem partiu…
– Uai, dona! Por caus dissu num precisa chorá não…tenho certeza bissoluta qui a sinhora já nasceu com esse trem partido….



DIPROMA


O velho fazendeiro do interior de Minas está em sua sala, proseando com um amigo, quando um menino passa correndo por ali.
Ele chama:
– Diproma, vai falar para sua avó trazer um cafèzinho aqui pra visita!
E o amigo estranha:
– Mas que nome engraçado tem esse menino!! É seu parente?
– É meu neto! Eu chamo ele assim porque mandei a minha filha estudar em Belzonte e ela voltou com ele!


MINEIRIM NO RIDIJANEIRO


Um mineirim tava no Ridijaneiro, bismado cas praia, pé discarço, sem camisa, caquele carção samba canção, sem cueca pur dibacho.
Os cariocas zombano, contano piada de mineiro. Alheio a tudo, o mineirim olhou pro marzão e num se güentô: correu a toda velocidade e deu um mergúio, deu cambaióta, pegô jacaré e tudo mais.
Quando saiu, o carção de ticido finim tava transparente e grudadim na pele.
Tudu mundo na praia tava oiano pro tamanho do “amigão” que o mineirim tinha.
O bicho ia até pertim do juêio…A turma nunca tinha visto coisa igual. As muié cum sorrisão, os homi roxo dinveja, só tinham olhos pro bicho.
O mineirim intão percebeu a situação, ficou todo envergonhado e gritou:
– Qui qui foi, uai? Seus bobãum… vão dizê qui quando oceis pula na agua fria, o pintim doceis num incói tamém…?




O EMPRESÁRIO E O MINEIRIM


Num certo dia, um empresário viajava pelo interior de Minas.
Ao ver um peão tocando umas vacas, parou para lhe fazer algumas perguntas:
– Acha que você poderia me passar umas informações?
– Claro, sô!
– As vacas dão muito leite?
– Qual que o senhor quer saber: as maiáda ou as marrom?
– Pode ser as malhadas.
– Dá uns 12 litro por dia!
– E as marrons?
– Tamém uns 12 litro por dia!
O empresário pensou um pouco e logo tornou a perguntar:
– Elas comem o quê?
– Qual? As maiáda ou as marrom?
– Sei lá, pode ser as marrons!
– As marrom come pasto e sal.
– Hum! E as malhadas?
– Tamém come pasto e sal!
O empresário, sem conseguir esconder a irritação:
– Escuta aqui, meu amigo! Por quê toda vez que eu te pergunto alguma coisa sobre as vacas você me diz se quero saber das malhadas ou das marrons,
sendo que é tudo a mesma resposta?
E o matuto responde:
– É que as maiáda são minha!
– E as marrons?
– Tamém!


INDO PARA A PESCARIA…


Os dois mineiros se encontram no ponto de ônibus em Cocalinho para uma pescaria.
– Então cumpade, tá animado? pergunta o primeiro.
– Eu tô, home!
– Ô cumpade, pro mode quê tá levano esses dois embornal?
– É que tô levano uma pingazinha, cumpade.
– Pinga, cumpade? Nóis num tinha acertado que num ia bebê mais?!
– Cumpade, é que pode aparece uma cobra e pica a gente. Aí nóis desinfeta com a pinga e toma uns gole que é pra mode num sinti a dô.
– É… e na outra sacola, o que qui tá levano?
– É a cobra, cumpade. Pode num tê lá..


MINEIRIM COMPRANDO PASSAGEM


O mineirin vai a uma estação ferroviária para comprar um bilhete..
– Quero uma passage para o Esbui – solicita ao atendente.
– Não entendi; o senhor pode repetir?
– Quero uma passage para o Esbui!
– Sinto muito, senhor, não temos passagem para o Esbui.
Aborrecido, o caipira se afasta do guichê, se aproxima do amigo que o estava aguardando e lamenta:
– Olha, Esbui, o homem falou que prá ocê não tem passagem não!


A PESQUISADORA E O MINEIRIN


Uma pesquisadora do IBGE bate à porta de um sitiozinho perdido no interior de Minas.
– Essa terra dá mandioca?
– Não, senhora. – responde o roceiro.
– Dá batata?
– Também não, senhora!
– Dá feijão?
– Nunca deu!
– Arroz?
– De jeito nenhum!
– Milho?
– Nem brincando!
– Quer dizer que por aqui não adianta plantar nada?
– Ah! … Se plantar é diferente..

março 3, 2009

Carnaval, descanso e festa?

É contraditório mas eu consegui em pleno carnaval de Salvador, casado e pai de família, encontrar com amigos, pular dois dias, mergulhar, descansar e ainda comemorar de forma discreta mas com pessoas queridas o meu aniversário. Tudo isso num local muito lindo que se chama Itacimirim e fica há 40 minutos de capital bahiana. É bom lembrar que bafômetro existe, não é lenda. Ao voltarmos de madrugada da folia, por duas vezes fomos parados. Na primeira a Tati assoprou mas já foi preparada para isso e nada constou. Na segunda a Ana minha mulher fez o mesmo e como não bebe deu negativo. Ela a partir desse dia receberá aumento nos seus honorário pois passa a ocupar a posição de artigo de luxo e primeira necessidade ao mesmo tempo. É mole?

A viagem, Vegas – Salvador. Durou só 22 horas. Fiquei no bagaço mas valeu a pena trocar o frio pelo calor de salvador.

img_0319

A casa: na beira da praia, mais especificamente a 50 metros do mar.

A vista: o mar quente e azul da Bahia. Juju adorou as piscinas naturais que se formavam no início da manhã. Eu também pois podíamos fazer mergulho com snorkel. Minhas costas sairam roxas pois esqueci o protetor solar no primeiro dia. Tem gente que não aprende.

Velhos amigos

Família (cunhado também conta?)

Novos amigos

Folia

O tricot

O menu

Ana e Juju

Praia do Forte: o projeto Tamar continua firme e forte. Demos a sorte de estarem retirando uma ninhada de tartarugas marinhas no dia em que fomos visitá-lo. Juju pirou!

Juju e dinda

Sol

Isso é Bahia!

Ano que vem tem mais!

fevereiro 21, 2009

Terra do exagero?

Filed under: Pessoal — Vinicius Matos @ 7:48 am
Tags: , , , , , ,

Não aproveitei muito a cidade devido ao real motivo da minha viagem, a convenção WPPI. Ano que vem quem sabe eu estarei de volta com a Ana para usufruirmos de todo entertainment que o local oferece. Assim espero! Enquanto isso passo um pouquinho do que Las Vegas tem, para mim, a terra do exagero e dos contrastes. Aqui se você procurar  acaba achando segundo o ilustre vendedor do post anterior.

– Edifícios gigantescos. Ano que vem vou subir no Stratosphere. Parece a torre Altavilla de BH só que é umas 10 vezes maior, pelo menos 8.

– Estacionamentos de vários andares e gratuitos. São de graça acho que pelo motivo das pessoas voltarem para o carro sem nem uma moedinha, perdem tudo nos cassinos. Eu só perdia o carro várias vezes. São também escuros e há vários arrombamentos de carros para roubos de GPS. Isso temos no Brasil também né?

– Aqui há uma réplica do Arco do Triunfo, Torre Eifel, Esfinge Gizé, Pirâmideo de Queops e do Elvis Presley e Michael Jakson!

– Pessoas loucas. Hoje um casal estava tentando fazer ligação direta em um carro dentro do estacionamento do hotel. Segundo eles o carro fora arrombado e teve sua fechadura estragada! Eles estavam nitidamente drogados e me pediram para testar a chave do meu carro. Eu deixei. Como eles poderiam estar fazendo ligação direta se tinha a chave? Estranho…..não? Além disso eles me disseram que alguém tinha feito sexo no banco do carro deles. Vai entender….Ah, o carro deles estava a venda com o seguintes dizeres no vidro de tráz: Vende-se por R$ 1500,00. Faça sua oferta! Passei lá agora a noite e o carro estava lá e aberto. Acho que eles desistiram de ligá-lo e voltaram para o cassino.

– Os maiores drinks que já vi. A única coisa que bebi foi vinho no quarto que comprei no supermercado mas vi esses drinks derrubando vários o tempo todo!

– Cores e luzes que incentivam o consumo!

– Deserto com neve. Pra mim ainda é difícil de entender pois deserto é quente e neve é gelada. Foi assim que aprendi como era criança, mas tudo bem. Estamos no inverno não?

– Um aeroporto dentro da cidade! Só mesmo Belo Horizonte possui um aeroporto quase em outro estado, CONFINS do mundo!

fevereiro 20, 2009

Aqui tem!

Filed under: Pessoal — Vinicius Matos @ 2:22 am
Tags: ,

A Cidade de Las Vegas desde 1980 dobra sua população de 10 em 10 anos. Isso significa que, se ela hoje tem 2 milhões de habitantes, teria 250 mil naquela época. É de assustar! Acho que foi por isso que hoje ao entrar em uma loja de fotografia local travei o seguinte diálogo com o vendedor.

Vendedor: Tudo bem? Posso ajudar?

Vinicius: Sim, preciso de um suporte de para tripés Manfrotto. Vc tem?

Vendedor: ..notanto meu sotaque…O Sr. é de onde?

Vinícius: do Brasil. Conhece?

Vendedor: Não. Vivo há 60 anos em Vegas, desde que nasci, disse ele em tom orgulhoso. Nunca saí daqui. Essa cidade é mágica, aqui você encontra tudo, é só procurar.

Vinícius: O Sr. tem o suporte para o tripé?

Vendedor: Não!

Vinícius: (pensando comigo… vou sacaneá-lo) Você disse que tinha tudo aqui em Las Vegas!

Vendedor: (mais esperto que eu imaginava) Disse sim mas o Sr. vai ter que procurar.

janeiro 31, 2009

Causo do Lambisomi

Filed under: Pessoal — Vinicius Matos @ 12:00 pm
Tags: , , , ,

É hilário. Vale a pena escutar até o final!

janeiro 29, 2009

Novela a cura – Episódio III

Filed under: Pessoal,vinicius matos — Vinicius Matos @ 3:33 am

Conforme havia dito ontem, quando falava do curso que ministrei para uma turma especial eu me referia mais uma vez ao meu pai que dessa vez foi meu aluno. Foi uma experiência profunda para mim. Mais um episódio dessa reaproximação que ainda se encontra em curso.

No início entrei em sala de aula tenso. Me senti um tanto quanto envergonhado pois ele nunca havia acompanhado de tão perto o meu trabalho como fotógrafo e professor. Tanto ele quanto eu não imaginávamos o que estava por vir (assim imagino). Acho que só há pouco tempo ele ficou sabendo que eu dou aula.

Todo filho busca a aprovação e aceitação dos pais. Atenção pais, anotem a dica! Começa cedo quando o filho ainda criança faz uma cambalhota na piscina e grita, paieeeeeeeê…..olha só o que eu faço! Viu pai como eu sou forte? Pois é. Essa vontade eu senti ontem, após a aula, de perguntar a ele se tinha orgulho de ser meu pai, se tinha gostado da aula, se eu o deixara decepcionado. Foram os dois dias mais longos da minha jornada até então!

Bem, nos primeiros minutos de aula eu fiquei um pouco tenso. A turma se apresentou, ele também. Não contei a ninguém que ele era meu pai, preferia acreditar que era mais um aluno pois não queria estragar nada. Estava com medo, poderia colocar tudo a perder.  Com o passar do tempo fui falando, expus minhas idéias e e a aula fluiu. Depois de um tempo me soltei e quase me esqueci de sua presença em sala de aula. As vezes lembrava rapidamente mas logo voltava para o foco que era o assunto fotografia de casamento. Durante o curso via que ele estava curtindo e isso me deixou mais calmo. Para minha alegria recebi o comentário do Sr. JF hoje que diz o seguinte:

” Vinícius
Foram dois dias de curso muito agradáveis.
Certamente não serei fotógrafo de casamento, porque já tenho uma profissão estabilizada, que absorve todo o meu tempo, além de exigir muita responsabilidade. Continuarei como amador, porém, um pouco melhor. Ao voltar para meu serviço encontrei a mesa cheia de trabalho acumulado, mas , valeu a pena! Foi aprendizado e também terapia.
Além de aprender o que você tão bem nos ensinou, de aprender detalhes técnicos com os simpáticos e amigáveis profissionais que participaram do curso, de conviver bem e trocar dicas com os colegas e os citados profissionais que vieram de diversas cidades do interior de Minas e de outros estados, tive a oportunidade de conhecer e de apreciar de perto seu trabalho.

Fiquei surpreso com sua didática, com o seu conhecimento e com a sua competência. É sinal que você tem estudado e praticado bastante. Ao voltar para casa, na noite do primeiro dia de aula, a primeira coisa que disse para sua mãe foi que estava orgulhoso de você. Ensinou muito bem, explicou com segurança, não escondeu nada do que tem aprendido, pelo contrário, foi muito transparente e “abriu o jogo”. Se a turma ficou calada foi porque ficou magnetizada absorvendo e ruminando tanta coisa boa e interessante que você nos ofereceu.
Quem ensina é o que mais aprende, e quem dá muito é o que mais recebe. Isto é um princípio espiritual, é a lei do retorno ou de causa e efeito.
Quanto à minha avaliação, dei 9 porque 10 é a meta, é a perfeição, e perfeição é sempre procurada, mas nunca alcançada e deve ser buscada por toda a vida. Nosso lema deve ser: hoje melhor do que ontem e amanhâ melhor do que hoje!
Fiquei também muito feliz ao escutar de alguns colegas que gostaram muito do curso, que valeu a pena, e que voltarão à sua escola para reciclagem e aprimoramento.
Que Deus abençoe a você, à Escola de Imagem e a todos que nela trabalham.

Seu pai e seu aluno, talvez aplicado.

João Flávio de Matos”

Acho que tenho direito a réplica. Afinal o blog é meu né?

Meu pai,

Obrigado pelas palavras que me servem de incentivo. Sei do seu grau de exigência. Conheço todo esse detalhismo. O seu comentário para mim é uma medalha agora estampada no peito. É como se eu chegasse do outro lado de um deserto e matasse minha sede após anos debaixo de sol causticante. (preparem-se, hoje estou inspirado gente). O senhor sempre quis que eu fosse uma pessoa aplicada, alguém que corresse atrás ou talvez na frente para ser um bom profissional e para servir as pessoas através do meu trabalho. Esse foi o conceito de trabalho que você me passou desde pequeno. Foi esse o exemplo que sempre tive também da minha querida mãe que não é muito citada por aqui mas que têm todo o meu amor.

Sempre tive medo de te decepcionar. Por muitas vezes senti que o fiz e aqui te peço perdão pelos dias que não te escutei ou que me rebelei.  Na verdade muitas vezes te ouvia mas não queria dar o braço a torcer. Isso ainda acontece, não vou negar.  Quando resolvi mudar a minha vida profissional senti muita dor e medo. Quem está de fora acha que foi tudo muito fácil, não foi!  Ficava indeciso e sabia que não tinha seu apoio explícito. Na sua cabeça eu poderia me dar mal. Sim, eu poderia e ainda posso e  nenhum pai quer o pior para o filho, hoje sei disso muito bem.

Fico feliz de saber que de alguma forma você se orgulha de mim. Lembro de algumas palavras que me foram ditas quando eu era criança: que eu ainda ia te dar muita alegria. Você falava isso para minha mãe. Por um bom tempo parou de falar, eu sei. Hoje ela me ligou dizendo que você estava orgulhoso de mim e agora vc me presenteia com um depoimento que vai marcar um momento tão importante da minha vida.

Obrigado pai! Que essa nossa estória sirva para que as pessoas não demorem tanto tempo a se aproximarem daqueles que as cercam. A vida é curta para perdermos tempo.

Beijo no coração do seu professor (mesmo que só por dois dias)

Vinícius


janeiro 25, 2009

A felicidade é estar feliz

Ontem não teve casamento mas foi um dia e tanto. Saí de casa cedo pois meu despertador da marca (Júlia Matos) me chamou as 6 e meia. Aproveitei então para fazer várias coisas que eu adoro. Veja bem, eu me considero uma pessoa feliz. O que é ser feliz? Para mim é simples. Se você tiver na vida mais momentos alegres que tristes considere-se uma pessoa feliz. Eu complicava muito o significado de felicidade. Ela não é plena. Ninguém é 100% alguma coisa. Ser feliz é verbo to be. Ser feliz é estar feliz com frequência. Ser feliz é estar de bem consigo mesmo até nas horas difíceis e/ou é não gostar de estar de mau consigo mesmo. Não sou filósofo nem escritor mas fiz um balanço da minha vida e conclui que sou feliz, muito por sinal. Gostaria de infectar o maior número de pessoas possíveis com minha felicidade. Quem quiser que venha comigo. Seja feliz também!

Voltando as coisas que fiz ontem e que me deixam ainda mais feliz!

1. Ver e fotografar animais.Para quem não sabe sou fã de animais. Já tive iguana, caranguejeira, alguns cachorros, periquito australiano, canarinho, ring neck, calopsita, papagaio (esse morreu senão estaria comigo até hoje), jabuti,  um mico estrela ( que o Ibama não me ouça), codorna, pato, pintinho (ganhei na exposição de cachorro no BH shopping e ele ficou lá em casa até virar frango) e gato (Minha mãe mandou eu dar pois falou que gato é traiçoeiro. Leite com manga mata viu gente?).

2. Passear com a Juju. Levei-a ao Zoo pela primeira vez. Ela viu a coba, popota, leao, lobu, piupiu, zacaré, zirafa, fanti, zeba, tigue e o caco! Entendeu tudo? Ela gosta muito de animal. Seus programas preferidos de TV são filmes e desenhos animados com bichos. Teve a quem puxar não?

2. Macrofotografia. Aproveitei que a Escola de Imagem estava ministrando um curso de macro através do meu amigo e professor fotógrafo Raphael Fraga e fiz algumas fotos. Não deu para fazer mais já que tinha que ficar com um olho na Juju e outro na câmera. Eu há algum tempo não fazia macros. Estou completamente enferrujado. A falta de práticame fez esquecer muita coisa. Pretendo me dedicar a macro pois é um ramo da fotografia que desenvolve o dom da paciência. Os macrofotógrafos sabem do que eu estou falando muito bem. É uma terapia!

3. Observar meu pai otografando. Quem está acompanhando o BLOG sabe que ele agora resolveu virar fotógrafo. Leu 7 livros só em janeiro e amanhã e depois vai ser meu aluno no curso de fotografia de casamento. É mole? Não me pergunte o motivo. Será que ele vai fazer frila pra La Foto?

4. Observar os alunos fotografando. A Escola de Imagem e a minha história com a fotografia começou através de um curso de Macro que fiz há 6 anos atrás. Hoje enquanto via os alunos fotografando eu fiquei muito feliz de lembrar de toda a história, de tudo que aconteceu, de todo o sofrimento nos últimos 18 meses e hoje me senti realizado vendo que a escola cresce mas ao mesmo tempo cuida dos seus alunos. Aliás, esse é o principal motivo que a faz crescer! Essas palavras tenho ouvido de vários deles que enfatizam que esse é um de nossos diferenciais. Como diz um ex-candidato a prefeito por aí: “É gente cuidando de gente!

5. Finalizei o dia ouvindo música, batendo papo com o Rapha de novo, ele me persegue e tomando um bom vinho ao lado das minhas duas mulheres, Ana e Juju! Nessa hora a câmera já estava desligada por isso vou ficar devendo o registro.

Quer dia melhor?

janeiro 21, 2009

A cura – Parte II

Filed under: Pessoal — Vinicius Matos @ 2:57 am
Tags:

Para quem leu meu post do dia 04 de Janeiro,  A CURA, segue a resposta que acabou de ser escrita por um dos protagonistas da história, meu pai e que com certeza passa a última página de um capítulo de nossas vidas!

“Vinícius

Li emocionado, ainda no Rio, na casa do Paulo, o que você escreveu em seu blog, no dia 4/1/2009, com o título ” A cura”.

Durante a primeira leitura, confesso que lágrimas escorreram pelo meu rosto e o mesmo ocorreu ontem, durante a re-leitura, já aqui em BH, e também hoje, durante mais esta vez, quando lhe respondo, através destas “mal traçadas linhas”.

Fiquei feliz em saber que a Júlia tem catalizado o processo de aproximação comigo.

Se você se orgulha de algo em mim, como disse, muito me orgulho, na sudina, da sua capacidade, de seu dinamismo e de seu empreendedorismo.

Tenho gostado muito de nossas saídas fotográficas. Estou aprendendo muito e como você me aconselhou, tenho de praticar e praticar, já que tenho lido bastante. Nestas férias fiz uma verdadeira imersão total em fotografia. Durante a leitura de um capítulo do livro do John H., até me relembrei do cheiro de ácido acético de meu humilde laboratório de preto e branco, no porão da casa velha da Rua Lunard 320. Já se passaram mais de 40 anos!

Se você me ama, como filho, como disse, quero lhe dizer que também lhe amo muito, como pai. Você mesmo afirmou que depois de se tornar pai, compreendeu o quanto o amor de um pai pelo filho é grande!

Que Deus lhe abençoe e ilumine sua vida!

Seu pai.

João Flávio”

janeiro 19, 2009

Resgatando um hobby

Filed under: Pessoal,Trabalhos Fotográficos — Vinicius Matos @ 1:58 am

A macrofotografia foi quem me trouxe para a fotografia. Esse fim de semana resolvi resgatá-la e fazer algumas imagens ja que não brincava disso há uns 4 anos.

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.