Vinicius Matos

março 19, 2009

Caminho das Índias

…para mim e para o casal de alunos!

Como fico feliz em receber alguns emails. Esse veio de um casal de Fotógrafos de Goiás. Paulo e Cida durante os dois workshops que fizeram comigo sentaram sempre na primeira carteira, anotaram tudo e não piscavam para não perder nada. No segundo workshop, de Marketing e Vendas, voltados ao mercado da fotografia de casamento, eles por alguns instantes pareciam um quanto tanto desconfiados do que eu falava. Principalmente quando falei de preços e descontos. O que acontece é que a maioria das pessoas que moram em cidades menores que os grandes centros como São Paulo e Rio, acham que não podem cobrar mais por um trabalho diferenciado. Qualquer um pode ter seu trabalho valorizado, mesmo que more em uma cidade de 10 mil habitantes. Basta ser raro, ou seja, fazer algo que seus concorrentes não fazem. Isso é lei de mercado que já existia desde a época de trocas nos primórdios do comércio. Porque as especiarias indianas eram tão valorizadas? Porque eram encontradas apenas na Índia e pouca gente sabia ir até lá. Elas eram raras. Quanto melhor e mais raro o fotógrafo é mais requisitado ele é e mais ele pode cobrar pelo seu bom trabalho. A matemática é simples. Tornar-se raro é um trabalho árduo mas não impossível. O casal acreditou e mudou todo seu negócio. Acompanhem esse depoimento que me deixou muito feliz! Eu apenas o ajudei na busca do caminho das índias!

“Olá Vinicius, eu sou o Paulo César que estive ai no workshop em dezembro e em janeiro, o casal (Paulo e Cida) de Goiás.  Rapaz, depois deste workshop  eu consegui abrir a cabeça esquecer da concorrência e aumentar muuuuuito os preços praticados. Foi  incrível os valores aplicados hoje com as técnicas de vendas ensinadas por você , valeu cada centavo aplicado nesta viagem a BH, valeu muito! Que vc sempre continue com este seu sucesso.”

Paulo e Cida

janeiro 28, 2009

Cursos de fevereiro – Escola de Imagem

janeiro 26, 2009

Excelente idéia: save the date

Save the date, em português, garde essa data ou reserve a data. Recebi este email de uma noiva que vou fotografar em breve. Achei a idéia muito bacana. Trata-se de um aviso por email que é enviado para os convidados para que os mesmos reservem a data do casamento, mesmo antes de receberem o convite oficial e impresso. Isso evita que outros compromissos sejam assumidos e que mais pessoas compareçam ao evento. Achei sensacional e resolvi aqui compartilhar principalmente com outras noivas. Valeu Rachelzinha!

janeiro 20, 2009

A foto mais bonita de reveillon

John Javellana/Reuters

John Javellana/Reuters

janeiro 9, 2009

Vendi minha 50D!

louisvuittonc1

Não que ela seja ruim, pelo contrário. Só não se compara a Mark II, ainda mais com firmware…ehehehhehe. Esse post foi só pra dizer que agora sou 100% fullframe e não abro mão ok? Como me disse a Nellie Solitrenick em seu workshop…… as câmeras com fator de corte nos dão a impressão de estarmos presos, amarrados. É verdade! Try it!

Fiz uma loucura….comprei uma outra Louis Vuitton Mark II! Chega Hoje! Uhuuu! Como diz a Suplicy…relaxa….Abri um bom Cabernet para esquecer essa loucura! Que venham outras, minha irmã embarca amanhã para NY e já to com wish list pronto! Melhor eu beber uma só uma tacinha.

dezembro 23, 2008

Carros não envelhecem mas seus donos sim!

Uma coletânea de imagens de carangos que de propriedade de homens antigos, é isso mesmo. Nesse caso os colecionadores são os carros, não acham? Contribuição do aluno Newton da turma 5 do Curso Profissionalizante da Escola de Imagem.

carrosfotoantiga0

carrosfotoantiga1

carrosfotoantiga2

carrosfotoantiga3

carrosfotoantiga4

carrosfotoantiga5

carrosfotoantiga6

carrosfotoantiga7

carrosfotoantiga8

dezembro 10, 2008

Fotógrafo profissional, to be or not to be!

Normalmente durante os meus cursos falo sobre o que é ser um fotógrafo profissional. Na minha humilde opinião o fotógrafo profissional é sinônimo de alguém que vive da fotografia e ponto final. Muitos acham que o fotógrafo profissional é aquele que é bom mas eu discordo. Discordo pois há muito amador que investe em fotografia, viaja, compra livros, equipamentos, pratica (uma das coisas mais importantes) e não vive de fotografia ou vive parcialmente de fotografia, embora fotografe melhor que muito FOTÓGRAFO PROFISSIONAL (que vive da fotografia).

Um exemplo claro é a fotógrafa paulistana Érika Verginelli que é gerente de marketing e fotógrafa ao mesmo tempo, pelo que vi já em fase de profissionalização bem adiantada pois está trabalhando muito.

picture-21

Quem tiver dúvida do seu bom gosto e competência confira com os próprios olhos seu site e blog. Fico feliz quando vejo tanto talento com futuro no nosso país. Somos seleiro sim mas acho que muita gente deveria levar a profissão mais a sério. Imagine se a Érika se dedicasse full time a fotografia? Depois não adianta reclamar que outras pessoas estão invadindo nossa profissão. Muita gente está sim mas só vai ficar se fizerem bem feito! Vale a pena refletir.

Abraços a todos

outubro 12, 2008

E é assim…

“…dentro de uma tempestade de lembranças
lembranças que fizeram de uma simples história
história perfeita no mundo do amor
lembranças que alimentam e aquecem o coração
lembranças que preservam a alma
lembranças, simples lembranças…”


setembro 12, 2008

Eugenio Recuenco

http://www.eugeniorecuenco.com

Um site muito bacana com um trabalho surpreendente do fotógrafo espanhol Eugênio Recuenco. Uma contribuição do aluno Leandro Bifano.

Lulu, a brava!

Eita braveza! Ainda bem que o Fil foi, ela se apaixonou por ele, o pai do sapinho, daí foi fácil fotografar!

Tal pai, tal filho! Sapos salvadores!

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.